Colunas

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

  • F. Moura

Quem é ele


Quem é ele

Que me estende a mão

Para atravessar as ruas

Quem é ele

Que me chama repetidamente

E monossilabicamente

Quem é ele

Que me tira da solidão do meu ensimesmamento

E me entrega cosquinhas

Quem é ele que me beija e chuta

De forma tão rápida

E incompreensível a vida adulta

Ele é o que me complementa

Sagitarianamente

Falando no meu silêncio

Ele é o que atravessou

A minha vida e o meu psiquismo

De forma animal

Ele é o que inaugurou

No homem

Uma nova forma de libído

Ele é amor, é beijo,

É embaraço, cabelo, meleca, cueca,

Chiclete, futebol, luta e cadarço

Enfim, nunca saberei quem somos...

Pior ainda, quem ele é...

Eu sou o que ele chama de Pai

Ele é o que eu chamo de Filho

Só sei que é ele o que chamam de menino...

Só sei que sou eu o que chamam de homem...

Não sei mais quem leva quem pra passear

Não sei mais quem está a educar

Pobres palavras

Decidi ignorá-las

O amor impera

Por Felipe Moura

26 visualizações

Posts Relacionados

Ver tudo

Por Marcelo Nunes da Rocha Abandonar um pouco as lembranças do silêncio absoluto – Só se abrirão agora o que ficou do passado como resquício... Como artefato do afeto... como flor irrepetível... Inven

Por Fijó Um novo sistema operacional Chegou criando expectativas. Ele prometia otimizar tarefas Que cumprimos no dia-a-dia. Na hora de dar nome a esse sistema A criatividade era pouca. Gastaram-na tod

Por Pivete nasci mas nasci pobre literalmente pobre cinematograficamente pobre a primeira vez que me reconheci foi nos livros cidade de deus e no filme na série e morrendo e tomando chicotada sendo o